Higiene Bucal: Como cuidar da gengiva e dos primeiros dentinhos do seu bebe


Sorrindo, chorando ou tentando dizer as primeiras palavras, o bebê está sempre mostrando os dentes ou a falta deles. Só porque ele ainda é pequeno (ou banguela), não quer dizer que não precisa de cuidados com a boca. Desde o nascimento, é indispensável zelar pela higiene oral do seu filho diariamente.  Assim, você garante que os dentes irão crescer bonitos e saudáveis, e previne dores e cáries no futuro.

Logo que o bebê nasce, a higiene bucal deve entrar na lista de cuidados. Os dentes vão levar alguns meses para aparecer, mas até lá você deve limpar a boca do neném após cada mamada, lanche ou refeição. Umedeça uma fralda ou pedaço de gaze em água filtrada, envolva-a em seu dedo e limpe a gengiva, a língua, os lábios e bochechas. Essa limpeza remove o leite que fica estagnado na boca, dando sensação de bem-estar ao bebê. Além disso, assim ele se acostuma com a higiene bucal.

Lá pelos seis ou sete meses aparecem os primeiros dentinhos. Às vezes eles aparecem mais cedo, por volta do quarto mês, e às vezes mais tarde, por volta de um ano, sem maiores conseqüências. Agitação, mau-humor, salivação aumentada e gengiva inchada e vermelha são alguns dos indicadores de que os dentes estão prestes a sair.

É normal nessa fase o bebê levar as mãozinhas ou outros objetos à boca. A novidade não causa dor, mas incomoda a criança. As mais sensíveis podem apresentar também diarréia e uma pequena febre, de até 37,5°C. Nesses casos, Vânia alerta: É recomendável que os pais consultem o pediatra para verificar se não há outro problema mais sério .

A coceira nas gengivas, causada pela pressão dos dentes que estão nascendo, faz o bebê levar à boca tudo o que encontra pela frente. Para aliviar o desconforto, massageie a gengiva dele com o dedo e ofereça mordedores de borracha, feitos com material atóxico, com a superfície lisa de preferência. E mantenha os mordedores sempre limpos, para evitar que microorganismos inflamem a gengiva.

Se essas medidas não derem resultado, vale a pena consultar um odontopediatra.

A MAM tem uma linha completa de cuidado oral para o bebe a partir do nascimento. Desenvolvidos com dentistas, os produtos MAM de Cuidado Oral ajudam os bebês a se habituarem à higiene oral regular, passo a passo. Formas e cores modernas despertam o interesse do bebê e estimulam a higiene dos dentes.

Limpa a boca e os primeiros dentes do bebê; Massageia gengivas sensíveis; Produzido em material especial, extramacio

 

Alcança e massageia qualquer região que seja necessário; Também é ideal para a limpeza dos primeiros dentes do bebê; Cabo extralongo para pais e bebês segurarem juntos

 

Ele limpa dos primeiros dentinhos durante a mastigação, completando assim os cuidados diários com os dentes; Onde ainda não houver dentes, a massagem suave acalma a gengiva sensível; As escovas macias são especialmente suaves para a gengiva e os primeiros dentinhos do bebê.

 

 

Amamentação x Prematuridade

Por enfermeira Mariana Rios

A alimentação de bebes prematuros dois desafios se impõe, manter a produção de leite da mamãe e estabelecer uma amamentação exclusiva. Por serem baixo peso, os prematuros cansam muito rápido, param freqüentemente a sucção para respirar e acabam dormindo na hora das mamadas. Além disto, os prematurinhos choram muito mais com a alimentação no seio do que quando recebem a mamadeira. É importante que  a mamãe familiarize com esta espeficidade, pois o choro muitas vezes é percebido pela família como leite insuficiente e pausas durante a mamada podem ser erroneamente interpretadas, levando uma retirada precoce do peito e ganho ponderal insuficiente, aumentando o risco de desmame.

O que fazer nesta situação:

– Ofereça alguns minutos em cada peito e complemente com mamadeira, copinho, colherzinha, ou sondinha (com o próprio leite ordenhado se possível).

– Como a sucção do prematuro é pouco eficaz, o peito da mamãe fica pouco estimulado e conseqüentemente com pouco leite, por isso, manter a ordenha mecânica se faz necessário após as mamadas do bebe.

Quais alimentos evitar durante a gestação

Por Nutricionista Raquel Righi

Olas Mamães,

Sei que a gravidez é um momento único na vida de cada mulher e como tal deve ser respeitado.
Acredito que salvos os casos de patologias durante a gravidez muitos alimentos não devem ser excluídos da alimentação mas é importante que se fassa algumas ressalvas sobre as quantidades e frequência.
Preferir alimentos saudáveis, fontes de ficras, vitaminas e minerais é sempre a melhor opção.
Vale lembrar aqui que o que você come o bebe come!


Leiam abaixo alguns dos problemas que uma alimentação desequilibrada (consumo muito frequente e em grandes quantidades) pode causar:

Biscoito recheado, batata palha, pipoca de microondas, salgadinhos de pacote, sorvete, chocolate ao leite, margarinas, chantily, balas, biscoito cream cracker, e muitos outros são excelentes fontes de gordura trans, obtidas a partir da gordura vegetal hidrogenada. Resumo rápido dos atuais riscos de consumo destas gorduras:

1 – Menos DHA no cérebro, com perda de memória, raciocinio, e possíveis demências.
2 – Câncer de intestino, mama, próstata e pâncreas.
3 – Aterosclerose, infarto, hipertensão e acidente vascular cerebral.
4 – Obesidade, esteatose hepática, litiase biliar e Diabetes.
5 – Asma e alergias.

Arroz branco? Deve ser consumido ou não?

Por Nutricionista Raquel Righi

Poderíamos enumerar os malefícios de se consumir o arroz refinado ou arroz polido, a começar pela falta das vitaminas do complexo B e fibras presentes na versão integral. Mas hoje queria apenas trazer a informação sobre a alta concentração de cádmio. Um dos problemas deste metal pesado é que ele reduz a biodisponibilidade do zinco presente em cereais, sementes e frutos do mar. No caso do arroz branquinho, bem clareado artificialmente, a proporção zinco:cádmio sai de 120:1 na forma integral para 16:1 na forma refinada. Ou seja, temos um alimento pobre em zinco e rico em substância geradora de problemas renais, impotência e perda da capacidade reprodutiva e câncer de pulmão.
Importante: o cádmio também reduz a cisteína, aminoácido importante para formação do cabelo, por exemplo. Cádmio também é muito comum no cigarro, em pilhas e tintas.

MAMÃE ADOTIVA x AMAMENTAÇÃO

Por enfermeira Mariana Rios

A mulher que deseja amamentar seu recém nascido adotado pode fazê-lo mesmo sem o estimulo prévio da gestação. A chave para o desenvolvimento da produção de leite é seu desejo para colocar o bebe no seio e boa vontade deste sugar. No caso da mulher ter amamentado antes, pode-se observar a presença de leite nos primeiros 7 dias; se é sua primeira experiência, ele aparece geralmente na segunda semana. Nas mamães adotivas a produção de leite segue aumentando ate o sexto mês. Para que isto aconteça, recomendo um suplementador como o Mamatutti, SNS, ou uma seringa de 60 ml e uma sonda uretral 04 com leite artificial. Com esta suplementação o bebe consegue alimentar-se e ainda estimular o peito da mamãe. Como o essencial nestes casos é o estimulo freqüente da mama, recomendo ainda uma ordenha com bomba elétrica, se possível, por 10 minutos cada mama de três em 3 horas pelo menos. Se você ainda tem duvidas, procure um profissional da área ou entre em contato comigo!

SNS da Marca Medela

MamaTutti

Sonda Uretral 04

Seringa 60 ml

Amigo do Peito

Eu sou amiga do peito, apoio e incentivo, e você?

Amamentação em todos os momentos. Mais saúde, carinho e proteção.

Estudo mostra correlação entre alimentação da mãe e hábito alimentar da criança

Por Nutricionista Raquel Righi

Estudo feito com 3000 mil britânicas, confirmou a correlação entre o hábito alimentar da mãecom os  filhos e do pai com os filhos.
As gestantes responderam um questionário de frequência alimetar e posteriormente as crianças (com 9 e 11 anos) responderam o mesmo questionário durante três dias.
A ingestão materna de carboidratos, proteínas e gorduras no pré e pós-natal foi positivamente associada com a ingestão dos mesmos nutrientes pela criança. Ou seja, quanto maior o consumo desses macronutrientes pela mãe, maior a ingestão pela criança e, portanto, maior o crescimento da criança. Entretanto, esta associação foi mais forte no período pré-natal. Baseados nestes resultados, os autores relatam que “as gestantes devem ser encorajadas a adquirir hábitos alimentares saudáveis durante a gestação para beneficiar o desenvolvimento do feto e o hábito alimentar da futura criança”. A comparação da alimentação do pai com a do filho não apresentou os mesmos resultados. Houve forte associação mãe-filho para a ingestão de proteínas e gorduras e uma fraca associação pai-filho em relação ao consumo de carboidratos.
O principal fator influente sobre a massa gorda da criança foi o consumo de gordura e, para a massa magra, o consumo de carboidrato. Uma vez que os nutrientes ingeridos pela mãe tiveram relação direta nos nutrientes escolhidos pelo filho, a alimentação materna se torna um fator diretamente ligado a composição corporal de seus filhos.
“Como as associações de alimentação mãe-filho foram mais fortes no período pré-natal, é possível que isto reflita efeitos intra-uterinos sobre o apetite da criança, já que a glicose, os aminoácidos e os ácidos graxos são transportados através da placenta”, explicam os autores.

 

Instituto do Câncer de Mama. Para ajudar é só clicar!!!!!

Meninas, vamos ajudar o Instituto do Câncer de Mama, que está com uma importante campanha. Vamos ajudar a salvar o site do câncer de mama? NÃO CUSTA NADA.

O Site do câncer de mama está com problemas, pois não tem o número de acessos e cliques necessários para alcançar a cota que lhes permite oferecer uma mamografia gratuita diariamente a mulheres de baixa renda.
Demora menos de um segundo, ir ao site e clicar na tecla cor-de-rosa que diz ‘Campanha da Mamografia Digital Gratuita‘.

Não custa nada e é por meio do número diário de pessoas que clicam que os patrocinadores oferecem a mamografia em troca de publicidade. E assim estaremos ajudando a salvar este site tão importante.

Este gesto fará uma enorme diferença. Clique AQUI e ajude!!!!

Fonte: Tabuleiro Chic

Sábado é dia de Zé Gotinha!!

Vai começar, neste sábado, a segunda etapa da vacinação contra paralisia infantil (poliomielite) no país. Deverão receber a nova dose as crianças menores de 5 anos. Serão 115 mil unidades em funcionamento em todo o Brasil. A meta é imunizar cerca de 95% da população dentro desta faixa etária.

Neste sábado, inicia também a segunda etapa da vacinação contra o sarampo, que vai até 16 de setembro, no Distrito Federal (DF) e mais 18 estados (Acre, Amazonas, Amapá, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe, Santa Catarina e Tocantins). Crianças menores de 7 anos deverão receber as vacinas.

Ácido Fólico e Zinco

Por Nutricionista Raquel Righi

Olás Mamães!

Gostaria de me apresentar, meu nome é Raquel, sou nutricionista e junto com o Bebe-à- Porter falaremos um pouco sobre nutrição durante a gestação e amamentação.

Vamos começar falando um pouquinho sobre ácido fólico e zinco.

É de conhecimento de todos que a gestação é um período em que o corpo da mulher demanda muitos cuidados devido as alterações hormonais que ocorrem nesse período.
Normalmente as mamães ficam muito atentas a suplementação de ácido fólico.

É fato sim, que  esse suplementação é de extrema importância principalmente para a formação da coluna vertebral do bebê.

Porém essa suplementação deve ser acompanhada de uma alimentação ou suplementação de Zinco pois para utilizar todo o ácido fólico o nosso corpo precisa “gastar” o zinco.

Vale ressaltar aqui que o zinco é um mineral muito importante para o corpo por participar de diversas reações e por ser um poderoso antioxidante.O zinco tem várias funções. Seu papel é crucial no crescimento e na divisão das células, quando é necessário na síntese de proteínas e de DNA, na atividade da insulina, no metabolismo dos ovários e testículos e no funcionamento do fígado. Como componente de muitas enzimas, está ligado ao  metabolismo de proteínas, carboidratos, lipídios e energia.

Alguns alimentos onde vocês poderão encontrar o Zinco: oleaginosas (castanhas e grãos), leite e derivados (porém em pequenas quantidades), feijões e lentilhas e as sementes de abóbora.